segunda-feira, 6 de julho de 2009

Elegy - Philip Roth

Consuela Castillo, uma estudante bem-comportada, com vinte e quatro anos, filha de exilados cubanos ricos, lança a vida do professor David Kepesh num tumulto erótico. Conferencista de grande mérito, crítico cultural e muito respeitado na sua universidade em Nova Iorque, o sexagenário, com uma vida ordenada, em que é simultaneamente livre no mundo de Eros e estudiosamente dedicado na sua actividade estética, vive aquilo a que chama uma “virilidade emancipada.” Tudo isto é posto em causa pela beleza e juventude de Consuela, que vai atira-lo para uma enlouquecida possessividade e ciúme deformador. A aventura despreocupada evolui para uma história cruel de perda.
Esta é a adaptação do romance de Philip Roth Animal Moribundo, realizado pela catalã Isabel Coixet, em que são protagonistas Ben Kingsley e Penélope Cruz nos principais papéis. Philip Roth, escritor norte-americano de origem judaica, é considerado um dos mais importantes escritores da segunda metade do século XX. O seu último romance tem como título Indignation, muito aclamado pela crítica.
Indignação é o que nós sentimos, porque nem estreia por cá o filme Elegy, assim como o seu último livro só estará traduzido e publicado no proximo Outono pela D.Quixote .
Outono parece ser a estação de Roth, não fosse ele falado todos os anos para o Nobel da Literatura.

2 comentários:

mr disse...

Assim é que somos mesmo ultraperiféricos. Devia haver dinheiro da Europa para isto, não só para as reçãs...

Maninha disse...

indignação é o q eu sinto por terem escolhido a penélope...assim não sei se consigo ver o filme