segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Arquipélago da Sonolência

António Lobo Antunes afirmou que os preços dos livros em Portugal "são indecentemente caros", após evocar e concordar com Tony carreira ( grande sábio ), que se diz um felizardo de ter o êxito que tem num país de apenas 10 milhões.
Depois deste elevado discurso, o incorrecto foi comparar Portugal com outros países da Europa, se olharmos para as nossas pequenas tiragens (que inveja do Tony) e precários hábitos de leitura, com consequências nefastas nos preços.
Falando de livros, leitores e preços, é urgente um sério estudo aos hábitos de leitura no Arquipélago dos Açores, instrumento fundamental para a política do livro na região.


2 comentários:

Maninha disse...

Apesar de ser uma solução agradável, não me parece que descer e preço dos livros resolva grande coisa. Que tal ensinar as pessoas a LER?

Anónimo disse...

Teria sempre que ser uma combinação de iniciativas...medidas avulsas não seriam suficientes. E, como em quase tudo, é preciso começar em casa, com os pais a incentivar os filhos - desde pequenos - a trocar as malditas playstations e etc. por outros prazeres. Os livros, hoje em dia, têm uma concorrência feroz!
Cristina