sexta-feira, 18 de maio de 2007

Mulheres que lêem são perigosas


Histórias das mulheres que lêem encontra-se patente na pintura e na fotografia. O motivo da mulher que lê fascinou artistas ao longo de todas as épocas. No entanto, até ser permitido às mulheres ler aquilo que elas bem entendessem, passar-se-iam bastantes séculos.

Primeiro que tudo, deveriam bordar, rezar,cuidar dos filhos e cozinhar. Contudo, no preciso momento em que se aperceberam da leitura como possibilidade de trocar o estreito mundo do lar pelo ilimitado universo das ideias, da fantasia, e também do conhecimento, passaram a constituir uma ameaça.
Este empolgante capítulo da história da leitura feminina é tratado por Stefan Bollman numa edição da Quetzal.
Bollman conduz-nos numa viagem desde a Idade Média até ao presente, pertencendo a maioria dos motivos apresentados aos séculos XIX e XX. As pinturas, fotografias e desenhos escolhidas para este livro são apresentados e acompanhados por breves textos.


1 comentário:

Maninha disse...

Bem que me avisaram: maninha, lês demais; maninha, tanta leitura não é bom; maninha, se não lesses tanto não fazias disparates...
Perigoso, mesmo, é dar ouvidos a "bocas" dessas :)